Cultura Mochica: 6 passeios para se encantar pelo povo Moche

Você já ouviu falar na cultura mochica? Pois bem, se você ama viajar, desbravar lugares misteriosos, é apaixonada por histórias e lendas e não abre mão de uma aventura, este post vai convencer você a arrumar sua mala e partir para uma das trips mais alucinantes de sua vida!

Se ainda não faz ideia do que estamos falando, prepare-se para conhecer as cidades de Chiclayo e Trujillo, principais polos turísticos da região Norte do Peru e que escondem vestígios e tradições milenares da civilização moche, ainda mais antiga do que os famosos Incas de Machu Picchu.

E aí? Pronta para se apaixonar? Então, leia até o final e tome nota das dicas para o seu roteiro!

6 passeios imperdíveis para conhecer a cultura mochica

1- Mercado de las Brujas: prepare suas energias

O fabuloso Mercado das Bruxas, em Chiclayo, é uma das paradas obrigatórias de seu roteiro para desbravar a cultura mochica. Ali, você terá a oportunidade de embarcar em um passeio repleto de magias, crenças e mistérios de um povo milenar, que sempre buscou suas curas e espiritualidade nas forças da natureza.

Como todo povo amazônico, o moche também detinha um conhecimento espetacular de plantas, raízes, pedras, medicinas naturais e outros elementos místicos da floresta. Tudo isso foi passado pelas gerações e, hoje, é possível encontrar – e sentir – essa herança cultural no mercado em questão. Pelas tendas, ainda se encontram imagens, totens, incensos e defumadores de todos os tipos! Uma experiência fantástica que mistura tradição, esoterismo, curiosidade e muita energia!

O local pode ser visitado em um tour ainda pelo centro da cidade!

Cultura Mochica

2- Senhores de Sipán e de Tucume: embarque na cultura mochica

Apesar de a cultura mochica ser milenar e de se estimar que suas civilizações viveram ali por volta do século I e VII, muita coisa é recente nessas histórias. Prova disso é o misterioso Senhor de Sipán. Ele descoberto apenas em 1987 por arqueólogos e só em 2002 passou a receber visitas turísticas. Ou seja, ainda há muito mistério a ser desvendado sobre esse importante personagem da pré-história peruana e isso torna a viagem ainda mais fascinante.

Vamos lá! Para se ter uma ideia do que aguarda você, imagine que no local foram descobertas 16 tumbas contendo ossadas, acessórios e pertences de ouro e prata, o que indica a nobreza daquela gente. Tudo estava no mais perfeito estado de conservação, incluindo uma relíquia principal e mais rica em detalhes: a tumba reale do Senhor de Sipán.

Sipán significa “casa de lua”, o que mostra a extrema ligação do povo com elementos e astros noturnos.

Perto dali, o roteiro ainda é contemplado com as magnificas pirâmides de Túcume, onde também foi encontrado, em 2008, o Senhor de mesmo nome. Assim como Sipán, tudo ainda é recente e os seus mistérios estão sendo revelados aos poucos. No entanto, sabe-se que seu povo (da cultura Lambayeque) habitou o local entre os anos 700 e 1350 e estima-se que exisitam cerca de 26 pirâmides de adobe ali.

3- Cabillitos de Totora e praias de Trujillo: encante-se!

Por todo o Peru, o viajante tem paisagens incríveis e tradições de todos os lados. No Norte do país não é diferente! A prova disso é a cidade de Trujillo, com exuberantes praias do litoral pacifico e costumes antigos que ainda se mantêm vivos com o seu povo.

Toda a faixa litorânea é maravilhosa e, sem dúvidas, vai render fotos e memórias impressionantes. Mas tem um detalhe que faz toda a diferença: os tradicionais Caballitos de Totora! Trate-se de uma embarcação incrível, toda feita de “totora”, uma planta aquática muito típica de lá que, inclusive, é a mesma utilizada para a construção das ilhas flutuantes do Lago Titicaca.

A melhor praia para encontrar o barco é a fabulosa Huanchaco e, por lá, dizem que esta foi a primeira forma de surf da história! E aí? Arrisca dropar algumas ondas com um Caballito?

Cultura Mochica

4- Chan Chan: a maior cidade de barro do mundo e suas Huacas

Consegue imaginar uma área de 22 km² de extensão com construções unicamente de barro? Pois bem, ela existe e se chama Chan Chan, um dos roteiros imperdíveis da cultura mochica!

Ali, estima-se ter vivido uma população de cerca de 100 mil habitantes entre os anos de 850 e 1470. Hoje, mesmo com o tamanho reduzido pela metade, as construções que restaram ainda resistem às influencias do vento e das chuvas, o que torna mais desafiadora sua preservação.

Chan Chan era local de peregrinos e também cumpria as funções administrativas e cerimoniais de seu império. Nas suas huacas e construções, é possível encontrar pinturas e formas geométricas de animais e desenhos que muito explicam as crenças e tradições daquele povo.

Apesar desses monumentos estarem atrelados aos Chimú, algumas construções como a Huaca del Dragon ainda têm vestígios da cultura mochica, a qual estamos destacando neste post.

Cultura Mochica

5- Huacas del Sol e de la Luna: prepare-se para um dia mágico

A primeira, com cerca de 40 metros de altura, servia como centro administrativo da cultura mochica, enquanto a segunda mede pouco mais que a metade e funcionava para fins cerimoniais.

Estas duas espécies de pirâmides, sem dúvidas, são monumentos importantíssimos para a história do Norte do Peru e de suas antigas civilizações. Além disso, o mais deslumbrante de tudo é o estado de conservação em que elas se encontram, assim como seus objetos e artefatos que foram e são encontrados em trabalhos arqueológicos.

Ali, nos primeiros séculos, viveram cerca de dez mil pessoas que criaram construções com detalhes minuciosos e preciosos, que sobreviveram ao longo do tempo em seus murais e paredes.

Cultura Mochica

6- Senhora de Cao, a múmia tatuada: aventure-se por um fantástico complexo arqueológico

Entre todas os mistérios e curiosidades da cultura mochica e moche, um merece destaque especial: a descoberta de uma mulher de 25 anos com o corpo coberto de tatuagens.

Incrivelmente, esses detalhes se preservaram com o passar dos séculos e a mulher, chamada de Senhora de Cao (da Huaca Cao Viejo), se tornou uma das principais atrações do Complexo El Brujo. No mesmo local é possível conhecer também as Huacas Cortada e Pietro, locais de importância administrativa e religiosa da cultura mochica.

Enfim, estas são apenas seis sugestões de passeios por uma região praticamente ainda intocada e fora dos holofotes do turismo de massa no Peru. Além de poder vivenciar experiências indescritíveis, os mistérios da cultura mochica reforçam o quão rico é esse país e seu povo. Experimentar essa sensação só é possível por meio de uma agência especializada e os valores dos roteiros são um verdadeiro convite para arrumar a mala agora e desbravar o lado B do Peru.

Curtiu? Que tal embarcar nessa aventura? Aproveite e conheça também 5 pacotes completos para diferentes lugares do Norte do Peru! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *