Cordilheira Branca: 6 lagoas para quem ama natureza

A Cordilheira Branca, no Peru, é um dos destinos mais cobiçados pelos aventureiros de todo o mundo! E não é por acaso. Trata-se da maior cordilheira tropical do planeta.

Além disso, suas paisagens e cenários, com montanhas de neve, lagoas coloridas e ruínas pré-históricas, fazem do lugar, sem dúvidas, um dos mais encantadores de todo o continente.

Apesar do desafio ser grande, explorar a região, incluindo o Parque Huascarán, tem se tornado cada vez mais comum entre os amantes do turismo de aventura. Hoje, embarcar numa trip para a fantástica Cordilheira Branca é totalmente viável, graças aos roteiros guiados e com todo suporte necessário de agências especializadas.

Portanto, se você quer encarar trekking de verdade, sobre a neve e com altitude, e ainda ter a oportunidade de visitar sítios arqueológicos e lagoas inacreditáveis, prepare-se para as dicas abaixo. Garantimos que essa será uma das melhores viagens de sua vida! Confere aí com a gente!

Cordilheira Branca

Pronta para superar altitudes de mais de cinco mil metros?

Bom, a verdade é que há uma infinidade de trilhas a serem exploradas pela Cordilheira Branca, cada qual com seus níveis de dificuldade, distâncias e alturas. No entanto, algumas das principais atrações se encontram distantes e a caminhada requer bastante esforço físico e preparo.

Além disso, é extremamente recomendado contar com o acompanhamento de um guia capacitado, mesmo que você esteja acostumada com atividades físicas. Primeiro, porque esse profissional saberá direcionar você ou o grupo pelos caminhos mais adequados, sempre dando dicas, explicando as atrações, fauna, flora e, claro, contando um pouco sobre as lendas locais. Depois, tem a questão do suporte, já que se tratam de caminhadas longas e com o impacto da altitude.

Portanto, se quer uma dica de aventureiro, prepare-se com antecedência, pratique atividades físicas, invista em calçados e equipamentos de qualidade e já saia do Brasil com um guia fechado. Fazendo isso, suas pernas e cabeça vão trabalhar muito mais suaves!

Quais as recompensas de explorar a Cordilheira Branca no Peru?

Depois de comprar o desafio, é hora de se maravilhar com as “recompensas” do esforço! Abaixo, separamos seis lagoas da Cordilheira Branca, com direito a detalhes e dicas sobre suas trilhas. Os cenários são simplesmente indescritíveis e fazem valer cada passo dado nesse paraíso único do Peru. Preparada?

1- Laguna Paron (4.200 metros de altitude)

Essa trilha é comumente chamada de Paramount, e o nome da Montanha é “Pirámide de Garcilaso”. Ela é perfeita para começar a aventura pela Cordilheira Branca, já que é considerada de nível leve e, se ainda preferir, é possível explorá-la de carro.

Para quem já quer ir se adaptando ao clima e à altitude, não custa nada encarar um hiking curto e sem dificuldades. Chegando no ponto mais alto, a vista da Laguna Paron, de um azul impecável, e cercada de duas montanhas nevadas, é possível ter um gostinho do que o resto da viagem reserva. Se quiser, rola descer até as margens e até alugar uma canoa para navegar sobre suas águas geladas.

Cordilheira Branca

2-Laguna Tambillo o Rajucota (4.285 metros de altitude)

Com cerca de 13 km de extensão, este trekking é considerado um dos mais “tranquilos” da Cordilheira Branca. Apesar da altitude e do percurso um tanto quanto longo, a inclinação da trilha é de apenas 200 metros, ou seja, dá pra levar em um ritmo legal e sem muitos sacrifícios.

O final da caminhada se dá num imenso lago azul, rodeado de montanhas rochosas e picos nevados, dignos de um papel de parede. Vale a pena também encarar essa trilha nos primeiros dias para adaptação.

3- Glaciar Pastoruri (5.000 metros de altitude)

Um dos cenários mais altos e surpreendentes de toda a Cordilheira Branca. Portanto, é bom estar adaptada à altitude e com aquele casaco mais pesado. Já pelo caminho, não deixe de apreciar uma nascente de água gasificada natural, chamada Pumapampa.

Depois, continuando a caminhada, é possível chegar na Laguna Pumapashimi. Torça para o sol aparecer nessa hora, pois o reflexo da luz sobre as águas promove um espetáculo sem igual. Não é à toa que o lugar também é conhecido como lago das 7 cores.

Seguindo o caminho, entre vales nevados, visitas inesperadas de animais silvestres e uma flora extraordinária (se impressione com as Puyas Raimondi, umas bromélias de mais de 15 metros de altura), finalmente, chega-se na espetacular geleira. São diversos os pontos de visão do lugar e, certamente, você terá tempo de explorar bem, caminhar pelas margens e até escolher um cantinho só pra você sentir a força desse lugar.

Cordilheira Branca

4- Laguna 69 (4.600 metros de altitude)

Prepare as pernas, o coração e o cartão de memória! Sem dúvidas, a Laguna 69, é o cartão postal da Cordilheira Branca e, por isso, um dos passeios mais cobiçados da região. Fica no coração do Parque Nacional de Huascarán e a caminhada dura cerca de três horas, com uma elevação de mais 700 metros, bem puxadinha.

Mas uma recompensa dessa não poderia ser tão fácil, não é mesmo? O cenário é surreal! A cor dessa água é indescritível, sem necessidade alguma de filtros nas fotos. A impressão que dá é de um “caribe” em meio a montanhas nevadas (incluindo Huascarán, a mais alta do Peru) e um céu mais que perfeito. De verdade, não é exagero dizer que a Laguna 69 é um dos lugares mais lindos do mundo!

Cordilheira Branca

5- Laguna Llanganuco (3.850 metros de altitude)

Esse é mais uma paraíso imperdível! Já no caminho, é possível visitar o vale do Callejon de Huaylas, onde se estendem a Cordilheira Branca e a Cordilheira Negra por mais de 150 km. O visual de cima é uma pintura.

Além de vislumbrar essa vista maravilhosa, o viajante ainda tem a oportunidade de parar na antiga Yungay, uma pequena vila que foi soterrada pela neve e por pedras nos anos 1970, devido a uma forte avalanche do Huascarán, o mais alto nevado do Peru.

A Laguna Llanganuco fica dentro do parque nacional e você terá tempo suficiente para explorar suas margens a pé, apreciar a perfeição daquele cenário e sentir a incrível energia desse lugar mágico. Se preferir, ainda rolam uns caiaques para aluguel! Que tal?

Ah, uma dica extra! Antes de retornar para o hotel, faça uma pausa no povoado de Taricá, uma excelente oportunidade para repor as energias com um bom almoço e conhecer o artesanato típico peruano.

Cordilheira Branca

6- Laguna Qerococha e Chavin de Huantar (3.980 metros de altitude)

Para finalizar nossa lista com as lagoas mais incríveis da Cordilheira Branca, o caminho até a Laguna Qerococha também é imperdível e pode ser mais uma opção de passeio pela região. Isso porque, ali perto, se encontra um dos sítios arqueológicos mais importantes do Norte do Peru: o Chavin de Huantar.

No local também estão ruínas e monumentos de datas pré-históricas, bem antes da existência dos famosos incas. Entre as curiosidades, estão labirintos e cabeças talhadas de pedras. Simplesmente imperdível!

Enfim, a Cordilheira Branca é mais uma prova da riqueza natural e cultural do Peru, um dos países mais encantadores de todo o continente e que, sem dúvidas, surpreende e apaixona cada um de seus visitantes.

Hoje, como falamos, visitar a Cordilheira Branca não é mais um roteiro limitado a montanhistas profissionais. O ponto de partida dos principais passeios é a pequena cidade de Huaraz e você consegue programar sua viagem pra lá, com todo suporte e conforto, ao contratar uma agência especializada. Portanto, não perca tempo e viva essa experiência!

Cordilheira Branca

Curtiu? Quer conhecer outra paisagem inacreditável no Peru e que também pode fazer parte de seu roteiro? Então, confira agora nosso post sobre a Laguna Humantay, um dos lugares mais lindos do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *